Sobre o site

 

 

Com este trabalho queremos ajudar cada leitor a perceber que, mesmo diante das dificuldades emocionais, há possibilidades de superação!

 

Nossa proposta é; produzir materiais e conceder orientação profissional que favoreçam na compreensão de que: Buscar o desenvolvimento pessoal e o cuidado com a saúde são recursos indispensáveis!

CRP 06/6715/J

 

Please reload

Artigos em destaque

 

 

 

Contato

 

 

Direcionaremos suas dúvidas:

 

(11) 2598-1096
(11) 97295-0305

 

E-mail: desenvolvendopersonalidade@gmail.com

 

Atendimentos realizados nas cidades de:

 

Santo André (SP) - Centro

São Paulo (SP) - Pinheiros

  • Wix Facebook page
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon

A dor emocional é real sim!

03.01.2016

Já se fala, com evidências, que há circuitos que são ativados em nosso Sistema Nervoso, (“cérebro e outras estruturas”), quando passamos por experiências emocionais dolorosas, que são semelhantes da dor física. Ou seja, quando passamos por dores emocionais como a rejeição (exclusão, traição, negação, desatenção etc), áreas do cérebro que são similares e complementares ao da dor física são ativadas.

 

Isto também explica o fato de passarmos por certas situações e ficarmos totalmente abalados, literalmente doloridos. Quantas vezes já se ouviu a expressão: “como esta dor (emocional) que estou passando dói”.

 

Felizmente há situações que facilmente conseguimos superar, pois ao longo da vida aprendemos a fazer isso, ainda que intuitivamente, mas há àquelas que não são tão fáceis assim. As situações emocionais pertencem a um conjunto genético, senso perceptivo, social e subjetivo de cada pessoa, e quando passamos por experiências dolorosas, também busca atuar este conjunto, a fim de diminuir e amenizar estas dores.

 

O que podemos fazer então para não sofrer?

 

É difícil não sofrer, aliás, em condições de desenvolvimento esperadas para o desenvolvimento humano, é impossível não sofrer, e isto ocorre justamente porque envolvemos nossas experiências emocionais, e se não fosse desta forma, certamente a vida seria descolorida; sem graça, não é mesmo?!

 

O “lance ai”, (a grande questão) é: Como estimular condições para enfrentar as experiências dolorosas com maior êxito? Como não deixar a nossa vida “parar”? O que fazer para não viver como se as mesmas experiências negativas estivessem se repetindo dia após dia?

 

Precisa-se aprender a encontrar estímulos e codificá-los apropriadamente. É necessário vivenciar ou ainda ressignificar as experiências.

 

Isso é bem possível, pois todos nós já enfrentamos contrariedades que pareciam insuperáveis, o que precisamos aprender a fazer é utilizar bem os nossos recursos, e aprender outros novos.

 

É isso que queremos estimular quando falamos de Desenvolver a Personalidade!

Please reload